A solução para Distribuição de Sinal ISDB-T da EiTV é voltada para a distribuição do conteúdo de áudio, vídeo e dados do sinal digital gerado pela emissora cabeça de rede para as emissoras retransmissoras (afiliadas e repetidoras). A solução tem como base o equipamento EiTV Replay, que pode ser usado tanto do lado da geradora, visando preparar o sinal digital (BTS) para distribuição, como na emissora retransmissora, onde o sinal digital (BTS) será recebido e ajustado com os parâmetros locais de retransmissão.

A seguir apresentamos quatro cenários de utilização do equipamento EiTV Replay para distribuição de sinal ISDB-T.

CENÁRIO 1 – DISTRIBUIÇÃO DE SINAL DIGITAL VIA SATÉLITE (DVB-S/S2)

solucao-sinal-isdbt-1

Neste cenário o equipamento EiTV Replay que fica do lado da cabeça de rede (geradora) é configurado com os módulos: compressor de BTS e scrambler BISS. Desta forma, o sinal digital (BTS) será comprimido reduzindo sua taxa de transmissão de 32,5 Mbps para cerca de 19 Mbps, sem qualquer perda de qualidade. Além disso, o sinal comprimido é encriptado utilizando o padrão BISS.

O equipamento EiTV Replay que fica do lado da emissora retransmissora é configurado com os módulos: receptor DVB-S/S2, descompressor de BTS, descrambler BISS, multiplexador e remultiplexador. Desta forma, a antena parabólica de recepção é conectada diretamente no EiTV Replay, que fará a demodulação do sinal DVB-S/S2, a decriptação do sinal encriptado em BISS, a descompressão do BTS para recuperar sua taxa de transmissão de 32,5 Mbps, a multiplexação e remultiplexação das informações locais da retransmissora, com a possibilidade de inserção de conteúdo local, ajuste de número de canal virtual, código de área e parâmetros de modulação que melhor se adequam a localidade da retransmissora.

Todo este processo de preparação do sinal para distribuição, recepção e ajustes de parâmetros locais no sinal que será retransmitido é realizado em tempo real com um tempo mínimo de atraso.

CENÁRIO 2 – DISTRIBUIÇÃO DE SINAL DIGITAL VIA IP

solucao-sinal-isdbt-2

Neste cenário o equipamento EiTV Replay que fica do lado da cabeça de rede (geradora) é configurado com o módulo compressor de BTS. Desta forma, o sinal digital (BTS) será comprimido reduzindo sua taxa de transmissão de 32,5 Mbps para cerca de 19 Mbps, sem qualquer perda de qualidade. O sinal comprimido é transmitido via interface IP (Gigabit Ethernet) para o switch da rede IP de distribuição, que pode ser baseado em fibra ótica ou outra tecnologia que garanta uma taxa mínima de 19 Mbps.

O equipamento EiTV Replay que fica do lado da emissora retransmissora é configurado com os módulos: descompressor de BTS, multiplexador e remultiplexador. Desta forma, a interface Gigabit Ethernet do switch da rede IP é conectada diretamente no EiTV Replay, que fará a descompressão do BTS para recuperar sua taxa de transmissão de 32,5 Mbps, a multiplexação e remultiplexação das informações locais da retransmissora, com a possibilidade de inserção de conteúdo local, ajuste de número de canal virtual, código de área e parâmetros de modulação que melhor se adequam a localidade da retransmissora.

Todo este processo de preparação do sinal para distribuição, recepção e ajustes de parâmetros locais no sinal que será retransmitido é realizado em tempo real com um tempo mínimo de atraso.

CENÁRIO 3 – DISTRIBUIÇÃO DE SINAL DIGITAL VIA MICRO-ONDAS

solucao-sinal-isdbt-3

Neste cenário o equipamento EiTV Replay que fica do lado da cabeça de rede (geradora) é configurado com o módulo compressor de BTS. Desta forma, o sinal digital (BTS) será comprimido reduzindo sua taxa de transmissão de 32,5 Mbps para cerca de 19 Mbps, sem qualquer perda de qualidade. O sinal comprimido é transmitido via interface ASI para o equipamento transmissor de micro-ondas digital.

O equipamento EiTV Replay que fica do lado da emissora retransmissora é configurado com os módulos: descompressor de BTS, multiplexador e remultiplexador. Desta forma, a interface ASI do equipamento receptor de micro-ondas digital é conectada diretamente no EiTV Replay, que fará a descompressão do BTS para recuperar sua taxa de transmissão de 32,5 Mbps, a multiplexação e remultiplexação das informações locais da retransmissora, com a possibilidade de inserção de conteúdo local, ajuste de número de canal virtual, código de área e parâmetros de modulação que melhor se adequam a localidade da retransmissora.

Todo este processo de preparação do sinal para distribuição, recepção e ajustes de parâmetros locais no sinal que será retransmitido é realizado em tempo real com um tempo mínimo de atraso.

CENÁRIO 4 – DISTRIBUIÇÃO DE SINAL DIGITAL VIA REDE TERRESTRE

solucao-sinal-isdbt-4

Neste cenário não é necessário um equipamento EiTV Replay do lado da emissora cabeça de rede (geradora), pois o sinal que será recebido na retransmissora será o mesmo sinal que é irradiado pelo transmissor ISDB-T da geradora.

O equipamento EiTV Replay que fica do lado da emissora retransmissora é configurado com os módulos: receptor ISDB-T, multiplexador e remultiplexador. Desta forma, a antena UHF de recepção é conectada diretamente no EiTV Replay, que fará a demodulação do sinal ISDB-T, a multiplexação e remultiplexação das informações locais da retransmissora, com a possibilidade de inserção de conteúdo local, ajuste de número de canal virtual, código de área e parâmetros de modulação que melhor se adequam a localidade da retransmissora.

Todo este processo de recepção e ajustes de parâmetros locais no sinal que será retransmitido é realizado em tempo real com um tempo mínimo de atraso.


MAIORES INFORMAÇÕES

Para solicitar maiores informações clique aqui.

EiTV - Entretenimento e Interatividade para TV Digital
Rua Rafael Andrade Duarte, 600, 6º Andar
Jardim Paraíso - CEP 13.100-011 - Campinas - SP - Brasil
Fone/Fax: (19) 3579-0744